Nesta terça-feira (05), o Conselho Técnico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) , formado pelos 20 clubes participantes da primeira divisão, aprovou, por unanimidade, o aumento de jogadores estrangeiros que podem ser utilizados por partida.

Com a participação de dirigentes e capitães das equipes da Série A, foi aprovado, a partir desta edição do Campeonato Brasileiro, que até nove gringos poderão entrar em campo no mesmo jogo.

Divulgação: Lucas Uebel / Grêmio FBPA
Divulgação: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

É a segunda temporada seguida que a regra do número de estrangeiros é alterada. Até o começo do Brasileirão de 2023, apenas cinco atletas poderiam ser utilizados por partida. Na votação da época, foi aprovado o aumento para sete.

O Grêmio é uma das equipes que mais possui jogadores gringos em seu elenco. Ao todo, são oito gremistas que nasceram fora do Brasil. São eles: Marchesín (Argentina), Kannemann (Argentina), Cristaldo (Argentina - Paraguai), Lucas Besozzi (Argentina), Pavón (Argentina), Villasanti (Paraguai), Carballo (Uruguai) e Soteldo (Venezuela).

Os atacantes Diego Costa (Espanha) e João Pedro Galvão (Itália) possuem dupla cidadania, ou seja, não perderam a brasileira, sendo assim, não entram na lista de estrangeiros do Tricolor.

Contra o aumento

A Fenapaf (Federação Nacional de Atletas de Futebol Profissional), representada no Conselho Técnico da CBF pelo presidente, Alfredo Sampaio, era contra o aumento. O responsável pela associação destacou que haverá reflexos na formação de atletas brasileiros nos próximos anos.