O Grêmio definiu de forma oficial que o atacante Luis Suárez terá a opção de escolher se deixará ou não o clube ao fim deste ano. O contrato, assinado em janeiro e que teria validade até dezembro de 2024, foi encurtado e, caso seja de desejo do jogador, será encerrado após o fim do Campeonato Brasileiro.

Segundo revelado pelo próprio jogador em entrevista coletiva realizada há cerca de um mês, as conversas pela antecipação do fim do contrato tem como principal motivo a sua situação clínica, já que o atacante convive com dores no joelho direito devido a problemas com a cartilagem no local.

Suárez fica no Grêmio em 2024?

Nas últimas horas, surgiram especulações de que o presidente Alberto Guerra teria deixado em aberto a permanência do atacante caso o Grêmio consiga a classificação para a próxima edição da Copa Libertadores da América. Entretanto, nossa reportagem esteve presente no evento "Café com Informação", realizado na Arena do Grêmio na última quarta-feira (30), e ouviu exatamente o que foi dito pela direção gremista.

Questionado sobre o tema, o presidente Alberto Guerra deixou claro que neste momento, não existem atualizações sobre a situação de Suárez. Para ser cogitada uma permanência, teria de acontecer alguma sinalização por parte do jogador, o que até o momento não se confirmou. O clube segue com a convicção de que o atacante deixará o clube e inclusive já faz análises iniciais em busca de um substituto.

Suárez e Grêmio fizeram acordo pela antecipação do fim do contrato. (Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA)
Suárez e Grêmio fizeram acordo pela antecipação do fim do contrato. (Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA)

A direção do Grêmio ainda revelou que existe, neste momento, um bom relacionamento com os investidores para a entrada em um outro projeto em moldes parecidos com o acordo por Suárez.

A contratação do camisa 9 uruguaio foi essencial para o tricolor conseguir chegar ao seu recorde no número de sócios, gerando receita de aproximadamente R$ 7,4 milhões mensais. Este valor representa um aumento de R$ 3,8 milhões em relação ao fim do ano passado.