O ano de 2023 do Grêmio está sendo de pagamento de dívidas e adequação financeira. Com um cenário de terminar a temporada com mais gastos do que receitas, o clube tenta dentro de campo confirmar melhor desempenho do que o esperado e também novas vendas para aliviar a situação.

Entretanto, boa parte das dívidas são referentes a situações de anos anteriores, em boa parte de jogadores contratados e que acertaram suas saídas via rescisão de contrato. Um destes casos é do atacante Douglas Costa, que atuou em 2021 e participou da campanha que culminou com o rebaixamento gremista para a 2ª divisão do Campeonato Brasileiro.

Jogador mais bem pago do elenco na época, Douglas não conseguiu desempenhar o futebol esperado pela torcida e em fevereiro de 2022, entrou em um acordo para a quebra do contrato. Uma das condições para o acerto da rescisão foi o início do pagamento do valor apenas em janeiro de 2023. Veja abaixo todos os detalhes.

Douglas Costa deixou o Grêmio em fevereiro de 2022 rumo ao LA Galaxy, dos Estados Unidos. (Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA)
Douglas Costa deixou o Grêmio em fevereiro de 2022 rumo ao LA Galaxy, dos Estados Unidos. (Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA)

Entenda os detalhes da rescisão entre Douglas Costa e Grêmio

No acordo, ficou previsto que o jogador não receberia nenhum valor referente ao tempo de contrato restante com o Grêmio. Com isso, foi acertado apenas o pagamento da quantia pendente sobre sua estadia em Porto Alegre, que tinha custo total de aproximadamente R$7 milhões.

Esta quantia foi dividida em 48 parcelas, que seriam pagas inicialmente a partir de janeiro de 2023. De acordo com nota emitida pelo staff do jogador, nenhuma parcela foi paga pelo tricolor até o momento. Com isso, o valor mensal das parcelas é de cerca de R$ 145 mil.

Além de Douglas Costa, o Grêmio possui outros acordos de rescisão vigentes, como o do meia Lucas Silva, por exemplo. O volante, que hoje atua pelo Cruzeiro, receberá aproximadamente R$ 2 milhões também de forma parcelada.