A pedido do técnico Renato Portaluppi, o Grêmio está próximo de oficializar seu 11º reforço para a temporada. O meia Vina, de 31 anos e que desde 2020 é um dos principais jogadores do Ceará, tem negociações avançadas para ser mais uma contratação do tricolor gaúcho para a disputa do Gauchão, da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro.

As conversas acontecem desde o fim do ano passado, muito por conta das boas referências de Renato sobre suas características. Entretanto, as tratativas não avançaram na ocasião por conta do alto salário: Aproximadamente R$500 mil mensais.

Além disso, a nova direção gremista optou por dar prioridade a outros fatores, como as chegadas de Carballo, Luis Suárez e Franco Cristaldo. A saída de jogadores considerados "caros" no elenco também era extremamente importante para trazer equilíbrio aos cofres.

Vina deve ser oficializado como mais um reforço do Grêmio para 2023. (Foto: Fausto Filho / Ceará)
Vina deve ser oficializado como mais um reforço do Grêmio para 2023. (Foto: Fausto Filho / Ceará)

Cláusula em contrato com Ceará foi essencial para trazer Vina ao Grêmio

A saída de Campaz, que será oficializado em breve como novo reforço do Rosario Central, ajudou o Grêmio a viabilizar a chegada de Vina. Entretanto, outro fator foi essencial para a retomada das negociações.

Em seu contrato com o Vozão, há uma cláusula que obrigatoriamente reduz o salário em caso de rebaixamento do clube para a série B do Campeonato Brasileiro. Com isso, seus vencimentos atualmente são de aproximadamente R$300 mil. Com o patamar salarial reduzido, tornou mais possível a retomada das conversas.

Esta quantia será paga integralmente pelo Grêmio, que também terá uma opção de compra em seu acordo de empréstimo. Na temporada passada, Vina atuou em 55 jogos, com 12 gols marcados e 5 assistências.