A expulsão do lateral-esquerdo Mayk na vitória de 3x2 do Grêmio sobre o Caxias, além de causar prejuízo técnico ao time, também resultará em um salário menor para o jogador. Isso porque, de acordo com o técnico Renato Portaluppi na entrevista coletiva após o jogo, o atleta foi multado em R$20 mil.

Entretanto, Mayk não foi o primeiro jogador a ser punido desta forma. A penalidade faz parte da "Caixinha", método usado por Renato durante toda a sua trajetória como técnico e que tem como objetivo manter a ordem dentro do vestiário e também na rotina do clube, seja em dias de jogos ou até mesmo nas dependências do CT Luiz Carvalho.

Em 2023, o lateral-esquerdo Reinaldo também foi punido financeiramente pela expulsão na derrota de 2x1 para o Athletico, pelo Brasileirão. Na ocasião, o treinador tricolor não deu detalhes da quantia, mas confirmou a situação:

"Já cobrei o Reinaldo no vestiário e vai ser multado, e a multa é pesada, regulamento da caixinha. Não podia ter tido essa atitude, até por ser um colega de profissão." afirmou.

Como funciona a "Caixinha" de Renato no Grêmio

A Caixinha consiste na punição financeira sobre erros de conduta do grupo de jogadores. Alguns tópicos importantes da cartilha de regras são:

  • Excesso de peso;
  • Expulsão desnecessária;
  • Atraso em treinos;
  • Restrição do uso do celular durante as atividades no CT Luiz Carvalho;
  • Velocidade do carro controlada;
  • Uso de roupas do clube desde a concentração;
  • Refeições sem celular;
  • Declarações públicas controladas
Renato impõe cartilha de regras aos jogadores no CT Luiz Carvalho. (Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA)
Renato impõe cartilha de regras aos jogadores no CT Luiz Carvalho. (Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA)

Excesso de peso

Esta punição consiste em algumas situações diferentes. Dentre elas, estão a ausência na pesagem diária ou se o jogador estiver acima do peso. Para quem estiver "gordinho", o valor estabelecido é para cada quilo acima da meta estabelecida pelo departamento de fisiologia do clube.

Caso algum atleta esteja acima do peso ideal, ele terá um prazo para perder peso. Se mesmo assim não cumprir o objetivo, terá seu salário reduzido.

Expulsão desnecessária

Como no caso de Mayk e Reinaldo, expulsões consideradas desnecessárias são punidas. O objetivo desta punição é justamente diminuir o risco de alguma atitude impulsiva dos jogadores e que possam causar prejuízo técnico durante os jogos e nas competições.

Atraso em treinos

A primeira regra é: Chegar ao CT Luiz Carvalho com pelo menos uma hora de antecedência em relação ao horário determinado e precisam estar no gramado ou na academia (quando necessário), prontos para o trabalho.

Em caso de atraso sem justificativa, haverá punição de um determinado valor por minuto.

Restrição do uso do celular

Sobre o uso de celular, Renato é um crítico do que denomina como "grande vício". Os atletas não podem utilizar celular o aparelho em lugares específicos do CT. A única exceção é para problemas familiares.

Velocidade do carro controlada

Sim, até mesmo a velocidade dos carros dos jogadores é monitorada por Renato e pelos demais membros da comissão técnica. Existe um controle sobre este tópico por conta do trânsito de pessoas e animais (adotados pelo clube e que transitam pela estrutura).

Uso de roupas do clube

Desde a concentração até o fim do jogo, os atletas têm o vestuário controlado. Os atletas precisam utilizar os uniformes de passeio e viagem quando estiverem fora dos quartos no hotel ou durante o deslocamento até os estádios.

Refeições sem uso de celular

Esta regra também contempla, além da rotina no CT, aos períodos de refeição durante a concentração. O objetivo da comissão técnica é melhorar o entrosamento entre os jogadores e gerar maior harmonia no ambiente. Em caso de uso, é aplicada a multa.

Declarações públicas controladas

Primeiramente, entrevistas são concedidas pelos jogadores com autorização do departamento de comunicação do clube. Assuntos muito específicos, como as atividades feitas com portões fechados, detalhes de bola parada, escalação ou outras situações são consideradas prejudiciais para o desempenho do time.

O dinheiro das punições durante o ano fica, ao fim de cada temporada, sob poder dos próprios jogadores. Eles então, decidem o destino da quantia, desde doações para instituições, por exemplo.

Também é importante dizer que o valor, de acordo com o próprio técnico tricolor, o valor das punições já é descontado do salário do atleta, sem necessidade do mesmo pagar as quantias.