Em entrevista para o jornalista Duda Garbi, no Youtube, o empresário Celso Rigo, dono da empresa Arroz Prato Fino, revelou participação na contratação de diversos jogadores pelo Grêmio ao longo dos últimos anos.

O investidor gremista foi um dos responsáveis por viabilizar a contratação da estrela uruguaia Luis Suárez. O aporte financeiro de Celso Rigo também possibilitou as chegadas de Felipe Carballo e Franco Cristaldo na Arena.

No entanto, a parceria entre o dono da Pirahy Alimentos e o Grêmio é de longa data. Em janeiro de 1996, quando o arrozeiro era diretor financeiro da Sociedade Esportiva São Borja, Rigo ofereceu Zé Alcino ao Tricolor. O jogador havia atuando por empréstimo no Inter e como o rival não tinha dinheiro para comprar o jogador, o empresário teve a ideia de oferecer ao presidente gremista Fábio Koff.

"Emprestamos o Zé Alcino ao Internacional. Negociamos com Fernando Carvalho, que era diretor de futebol, o empréstimo com o valor fixado em R$ 460 mil. No final do ano, o Internacional não tinha dinheiro. Aí eu pensei 'vamos tentar colocar no Grêmio'. Não quiseram me dar o celular do presidente Fábio Koff. Ele estava em São Paulo para um amistoso do Grêmio contra o Palmeiras antes do Gauchão. Aí liguei para Paulo Odone e me passou o contato do Koff".

Celso Rigo conta que Fábio Koff avisou que o Grêmio não tinha dinheiro para a contratação de Zé Alcino. Então o arrozeiro propôs parceria com o Tricolor para firmar o negócio.

"Eu falei para levar o Zé Alcino para o Grêmio e o presidente Koff falou que o Grêmio não tinha dinheiro, que era muito caro. Ele custava R$ 460 mil, mas eu disse que podíamos fazer outro negócio. Ofereci por R$ 300 mil e Koff voltou a afirmar que o Grêmio não tinha dinheiro. Então ofereci uma parceria. Eu entro com R$ 200 mil e o Grêmio com R$100 mil. Aí falei que podia parcelar e a gente ia se ajeitando".

Além da chegada do atacante Zé Alcino ao Grêmio em 1996, o presidente Fábio Koff pediu a contratação do irmão do jogador, o meia-atacante André Rosa. Para fechar a negociação, Rigo comprou o passe do atleta junto ao São Borja.

O investimento com o clube do coração deu retorno. Zé Alcino foi vendido ao Nancy, da França, em 1999, e rendeu lucro ao arrozeiro.

Jogadores contratados com aporte financeiro de Celso Rigo

  • Maxi López

Foto: Diego Vara
Foto: Diego Vara

O argentino foi um dos destaques do Grêmio na temporada de 2009. Contratado por empréstimo junto ao FC Moscou, o Tricolor precisava desembolsar 1,5 milhão de euros (R$ 3,75 milhões à época) para continuar com Maxi López.

Após uma década longe do Grêmio, Rigo retornou. Solicitado pelo presidente Duda Kroeff, o empresário depositou o montante em uma conta judicial. Como o argentino, alegando razões familiares, não seguiu em Porto Alegre, o dinheiro voltou aos cofres do Grêmio. Como investimento, o dono da Pirahy Alimentos aceitou 25% dos direitos de Douglas Costa em troca do dinheiro. Em janeiro de 2010, o atleta foi vendido ao Shakhtar Donetsk, da Ucrânia, por 6 milhões de euros e a dívida foi quitada.

  • Júnior Viçosa

Foto: Neco Varella/Agência Freelancer
Foto: Neco Varella/Agência Freelancer

Na temporada de 2010, Alberto Guerra e Rui Costa, responsáveis pelo futebol do Grêmio, solicitaram a contratação do atacante Júnior Viçosa, destaque do ASA de Arapiraca-AL. Celso Rigo bancou R$ 1 milhão e o jogador chegou ao Estádio Olímpico Monumental.

Na época, o empresário comprou 25% dos direitos do volante Fernando, destaque da base gremista. O jogador foi vendido ao Shakhtar por R$ 36 milhões.

  • Maxi Rodríguez

Foto: Gazeta Press
Foto: Gazeta Press

O primeiro prejuízo de Celso Rigo foi com o uruguaio Maxi Rodríguez, destaque do Montevideo Wanderers. O empresário pagou R$ 3,9 milhões para o Grêmio contratar o meia e ficou com 65% de seus direitos.

O jogador não correspondeu às expectativas e acumulou empréstimos. Após atuar com frequência em 2013 e 2014, Maxi foi emprestado até encerrar o vínculo com o Grêmio. O jogador atuou pelo Vasco da Gama, Universidad de Chile e Peñarol-URU.

  • Wendell

Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

O investidor gremista aportou R$ 3 milhões para o Grêmio contratar o lateral-esquerdo Wendell, do Londrina. Em menos de um ano vestindo a camisa do Tricolor, o atleta foi vendido ao Bayer Leverkusen, da Alemanha.

Rigo revelou ao jornalista Duda Garbi que ficou com duas parcelas do montante da venda. Como o valor recebido foi menor do que o aportado, para não sair no prejuízo, Celso Rigo ficou com 10% do passe de Luan, que viria a ser o melhor jogador da América em 2017.

  • Giuliano

Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA
Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Maior contratação da história do Grêmio na época, Giuliano chegou ao Tricolor, em meados de 2014, com mais uma ajuda de Celso Rigo. O dono do Arroz Prato Fino aportou R$ 12 milhões, dos R$ 15 milhões gastos para comprar o meia do Dnipro, da Ucrânia.

Após quatro temporadas com a camisa do Grêmio, Giuliano foi vendido ao Zenit por R$ 23,5 milhões. Rigo ficou com R$ 14,5 milhões do montante pago pelos russos.

  • Fernandinho

Foto: Lucas Uebel/ Grêmio FBPA
Foto: Lucas Uebel/ Grêmio FBPA

No mesmo período da contratação de Giuliano, o Grêmio anunciou o atacante Fernandinho, do Al-Jazira-EAU. O arrozeiro fez o investimento de R$ 2,4 milhões pelo jogador que marcou gol na final da Libertadores de 2017.

No aporte para a contratação, o empresário recebeu em troca uma participação nos direitos do volante Walace, vendido ao Hamburgo-ALE em 2017 por 10 milhões de euros (R$ 33,67 milhões à época). O Grêmio ficou com 60% do valor (aproximadamente R$ 20,2 milhões). Rigo recebeu R$ 2,6 milhões.

  • Maicon

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

A partir da nova regulamentação da Fifa, que proibiu negócios com investidores em maio de 2015, Celso Rigo reduziu seu envolvimento no Grêmio. No entanto, o empresário participou na contratação em definitivo de Maicon, ao final de 2015.

Na entrevista para Duda Garbi, Rigo conta que teve reunião com o presidente Romildo Bolzan e Rui Costa. Ambos destacaram que o time gremista para a temporada de 2016 começava com o volante Maicon. Assim, o empresário aportou o montante de R$ 7 milhões que o Grêmio pagou ao São Paulo.

  • Miller Bolaños

Foto: Wesley Santos / Gazeta Press
Foto: Wesley Santos / Gazeta Press

No início de fevereiro, o empresário foi contatado mais uma vez pelo presidente Romildo Bolzan, que solicitou um empréstimo para a compra de Miller Bolaños.

Rigo colocou R$ 10 milhões à disposição para finalizar a contratação do jogador campeão da Copa do Brasil de 2016. Com o contrato de direitos de TV, assinado pelo Grêmio com a Rede Globo em 2016, em que recebeu luvas de R$ 100 milhões, o clube quitou sua dívida com o arrozeiro.

  • Luis Suárez, Franco Cristaldo e Felipe Carballo

Para a temporada de 2023, o empresário ajudou mais uma vez o Tricolor a driblar as dificuldades financeiras. Celso Rigo fez aporte ao Grêmio e os uruguaios Luis Suárez e Felipe Carballo, além do argentino Franco Cristaldo chegaram para vestir a camisa do Tricolor.