Desde sua inauguração, em 2012, a Arena do Grêmio é a casa do torcedor tricolor. Entretanto, em pouco mais de 10 anos de existência, diversas situações de problemas na experiência com o torcedor e também sobre a estrutura em torno do estádio são relatadas e reivindicadas para a direção do clube.

A situação piorou de forma considerável durante a gestão do presidente Romildo Bolzan Jr., onde o clube conquistou grandes títulos, teve enorme presença de público e por consequência, exigiu mais dos serviços internos e externos da empresa gestora do local. Com isso, os problemas ficaram cada vez mais evidentes.

Para esclarecer alguns pontos, a direção do Grêmio detalhou muitas situações envolvendo a administração da Arena do Grêmio e o diálogo junto ao clube para realizar as melhoras dentro e fora da estrutura. Estes detalhes foram apresentados no evento "Café com Informação", que aconteceu na manhã da última quarta-feira (30).

Os detalhes do relacionamento entre Grêmio e Arena

Os gastos atuais para manter o estádio

Alguns tópicos foram abordados, principalmente no que diz respeito ao gasto para a manutenção do estádio. Hoje, os gastos com energia elétrica da estrutura são de aproximadamente R$550 mil, conforme revelado para a direão tricolor nos encontros feitos entre representantes do clube e da gestora do estádio.

Conforme dito pelo presidente Alberto Guerra, o CEO do Gremio, Márcio Pinto Ramos, possui encontros semanais nas quintas-feiras para tratar de diversos tópicos, como estado do gramado, experiência do torcedor e pedidos de melhora.

Pedidos de compra de equipamentos para o gramado

Uma das principais reclamações do torcedor gremista e do clube em si é o estado do gramado da Arena. Sobre isso, Alberto Guerra declarou que já realizou, em mais de uma oportunidade, pedidos para a compra de mais carros iluminadores, que ficam ligados para simular a luz do sol e acelerar o processo de crescimento do gramado.

Além disso, outro caminho seria trocar as lâmpadas destes carros por um modelo mais eficiente. Segundo análise do clube, estas melhorias poderiam triplicar o gasto de energia, o que não é bem visto pela gestora do estádio.

(Foto: Talis Andrey de Mello)
(Foto: Talis Andrey de Mello)

Um forte ponto de reclamação do Grêmio é de que grande parte dos pedidos de melhoria esbarram no custo. Mesmo com uma arrecadação significativa neste ano com a bilheteria dos jogos, a administradora prefere não fazer grandes melhorias por conta dos gastos envolvidos. A convicção do clube é de que existe um "desinteresse" em melhorar a qualidade do serviço.

Esta neglicência é comprovada pelo clube contra a empresa que é a responsável pelo cuidado do gramado. A empresa é a mesma contratada pelo tricolor para a manutenção do CT Luiz Carvalho, mas a diferença está na qualidade do serviço prestado por conta do investimento feito por Grêmio e gestora do estádio.

Implementação do sistema de check-in

Outro questionamento feito pelos jornalistas presentes no encontro foi sobre a implementação do sistema de check-in, principalmente nos grandes jogos e com presença significativa de público. Com isso, seria criado um sistema para que os sócios confirmem presença na partida e evitaria os espaços vazios no estádio.

Vale lembrar que este sistema já é utilizado por muitos dos principais clubes do futebol brasileiro, como Palmeiras, Internacional e outros. A justificativa para a não-implementação desta plataforma é a mesma: Um possível aumento nos custos de manutenção.

O sistema de check-in será utilizado, por exemplo, no evento que acontecerá no dia 10 de setembro, o treino aberto para parte dos sócios no local.

O Grêmio pode processar a administradora da Arena?

Diante de todos os problemas, a direção foi questionada se havia possibilidade de acionar a administradora do estádio judicialmente por conta da baixa qualidade do serviço prestado.

A resposta foi de que após algumas análises já realizadas, seria possível. Entretanto, mesmo que houvesse um bom prognóstico de vencer a causa nas primeiras instâncias, o resultado não seria positivo se a situação se transferisse para a esfera nacional.

Mesmo que o trabalho feito pela empresa responsável seja de baixa qualidade na avaliação do clube, contratualmente não existe erro pois os serviços e obrigações são realizados. Por outro lado, existe uma avaliação de que, no início deste ano, mais precisamente até a final do Campeonato Gaúcho, houve melhora no atendimento e na experiência do torcedor.

Vale lembrar que o contrato de exploração comercial, ou seja, que impede o Grêmio de administrar e ter a gestão do estádio, vai até 2033. O Grêmio não recebe nenhum valor da bilheteria de qualquer jogo ou evento feito na Arena. Uma alternativa encontrada para substituir a receita da bilheteria é o quadro social, que hoje gera aproximadamente R$7,4 milhões aos cofres do clube.

Neste ano, mais de 807 mil torcedores já compareceram a jogos do Grêmio na Arena e também na apresentação oficial do atacante Luis Suárez, que teve público de mais de 31 mil pessoas.