Solução mágica. É desta maneira que o ambiente gremista recebe, mais uma vez, Renato Portaluppi. O técnico, que iniciará a sua 4ª passagem pelo tricolor, chega com status de "cartada final" da gestão do presidente Romildo Bolzan Jr., que preferiu trabalhar em silêncio pelas movimentações dentro do Departamento de Futebol do clube.

O recado mais claro que a chegada de Renato traz aos bastidores do Grêmio é a não reposição dos cargos políticos dentro do departamento de futebol. Além de Roger Machado, foram desligados também Denis Abrahão e Sérgio Vasquez, que ocupavam os cargos de vice-presidente e diretor de futebol, respectivamente.

Retorno de Renato Portaluppi agitou os bastidores do Grêmio dentro e fora de campo. (Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA)
Retorno de Renato Portaluppi agitou os bastidores do Grêmio dentro e fora de campo. (Foto: Lucas Uebel / Grêmio FBPA)

O isolamento entre time e instituição foi uma das exigências de Renato para voltar ao Grêmio. Justamente por isso, sua presença em passagens anteriores dividia opiniões e sua saída, em 2021, gerou a volta da presença de políticos e dirigentes ao ambiente do clube e do vestiário.

Vale lembrar que o único membro do Departamento de Futebol que permaneceu no clube foi o executivo Diego Cerri, que será o responsável por realizar as exigências pedidas por Renato e Romildo.

Renato fará 1ª escalação por videoconferência

Ainda no Rio de Janeiro, Renato acompanhará a partida entre Grêmio e Vila Nova pela TV. Desembarcará em Porto Alegre apenas na tarde da próxima segunda-feira (5), e estará a beira do campo na partida contra o Vasco, no dia 11.

A definição da escalação e a preleção contará com sua presença de forma virtual, por videoconferência. O técnico interino será César Lopes. Uma provável escalação do tricolor tem:

11Diego Souza
10Guilherme
Thaciano
8Biel
Villasanti
6Bitello
5Diogo Barbosa
4Bruno Alves
Geromel
2Edilson
1Brenno