A situação clínica de Luis Suárez e a indefinição sobre os próximos meses de sua carreira fazem com que o a direção do Grêmio observe com muita atenção o mercado e os nomes disponíveis para a posição de centroavante. E nos últimos dias, um nome em especial entrou no radar do tricolor gaúcho: Trata-se de Diego Costa.

Agora sem clube, o atacante não renovou contrato com o Wolverhampton, que disputa a Premier League. Com isso, em busca de um novo destino para a sua carreira, representantes autorizados ofereceram o atleta ao Grêmio para ser uma alternativa a Suárez. Neste momento, o clube conta apenas com o jovem André e além dele, Vina vem sendo utilizado improvisado na função.

O patamar salarial de Diego Costa e a avaliação do Grêmio sobre sua contratação

Quando recebeu o contato de empresários pelo oferecimento de Diego Costa, o Grêmio soube dos valores necessários para contratar o jogador. A pedida mínima para um retorno ao futebol brasileiro é de cerca de R$ 900 mil mensais. Em um primeiro momento, a direção tricolor não respondeu sobre uma possível investida no atleta.

Este já é um valor abaixo do que Diego Costa recebia no Atlético-MG. Na ocasião, seus vencimentos eram de aproximadamente R$ 1,2 milhão mensais. Já no Wolverhampton, seu salário era de 400 mil euros (R$ 2,3 milhões).

Diego Costa foi oferecido ao Grêmio. (Foto: Wolverhampton / Divulgação)
Diego Costa foi oferecido ao Grêmio. (Foto: Wolverhampton / Divulgação)

Entretanto, são remotas as chances de abrir negociação, principalmente pelo desempenho recente. Diego Costa marcou apenas 1 gol em 25 jogos nos Wolves, e sua trajetória pelo Atlético-MG contabilizou apenas 5 bolas na rede.

Além disso, está aliado também ao fato de seu nome ser de um perfil diferente do preferido pelo clube. Sendo assim, outras opções serão avaliadas. Rodrigo Muniz, do Fulham, segue na mira, mesmo com os ingleses já recusarem duas ofertas do Grêmio.