(Foto: Al-Hilal / Divulgação)
(Foto: Al-Hilal / Divulgação)

A contratação de 11 jogadores ainda não é suficiente para o Grêmio entrar de vez na briga pelos títulos da Copa do Brasil e do Campeonato Brasileiro. Pelo menos esta é a avaliação do técnico Renato Portaluppi, que após o empate em 0x0 contra o São Luiz, no último sábado (18), pelo Gauchão, voltou a cobrar a chegada de novos atletas.

Para Renato, uma posição ainda é carente de jogadores para o elenco estar fechado: um atacante de lado do campo. Segundo o técnico tricolor, este tipo de jogador é considerado "indispensável" para a disputa dos principais campeonatos do ano:

"Entendo a parte financeira do clube. Estamos trocando ideias para os dois clubes (Grêmio e Al-Hilal) se acertarem e a gente trazer o Michael, porque é difícil quando não tem esse jogador para quebrar as linhas. Principalmente no estadual, é indispensável um jogador assim. Às vezes temos dificuldades para entrar na área do adversário, pois não temos esse jogador." declarou Renato em entrevista coletiva.

Al-Hilal define valor para negociar Michael com o futebol brasileiro

E mesmo com toda a vontade de Renato em contar com seu ex-companheiro no tempo de Flamengo, a negociação com o Al-Hilal é considerada muito difícil, principalmente pelos altos valores envolvidos. De acordo com o jornalista Jorge Nicola, o time árabe já definiu o valor que aceita negociar Michael: 8 milhões de dólares (R$41,3 milhões na cotação atual).

O valor é muito próximo ao necessário para tirar Michael do Flamengo, em 2022. Na ocasião, o rubeo-negro recebeu 8,45 milhões de dólares. Michael tem contrato com o Al-Hilal até junho de 2025 e recebe aproximadamente R$1 milhão mensais de salário. Entretanto, o jogador aceita reuduzir seus vencimentos para voltar ao futebol brasileiro.

Além do tricolor, Palmeiras e Flamengo observam a situação de Michael e podem apresentar novas ofertas nas próximas semanas.