Principal artilheiro do Grêmio nas últimas temporadas, o centroavante Diego Souza anunciou a sua aposentadoria do futebol profissional. O ex-jogador gremista fez a revelação através de reportagem especial para o site Globo Esporte.

Um dos destaques do Grêmio na campanha do vice-campeonato da Copa Libertadores de 2007, Diego Souza retornou ao clube em 2020 para atuar como centroavante. Contratação pedida pelo técnico Renato Portaluppi, o ex-jogador se tornou um dos principais nomes do clube nas últimas temporadas.

Torcedor do Vasco da Gama, o ex-centroavante elegeu o Grêmio, Sport e o clube carioca como as equipes que mais marcaram a sua vida. "Sem dúvidas, o Sport, o Grêmio e o Vasco me marcaram. O Sport e o Grêmio por muito mais tempo, e o Vasco por ser o clube que eu torcia na infância. Eu com certeza até o resto da minha vida vou assistir jogo do Vasco, do Grêmio e do Sport. Esses três times, não vai ter como. Jogos importantes, finais, alguma coisa eu vou sempre ver. Aqui no Rio com mais frequência, mas com certeza em Porto Alegre e Recife torcendo por essas equipes e podendo festejar muitas e muitas vezes", disse Diego.

Pelo Tricolor, o centroavante participou de 222 partidas e balançou as redes 87 vezes. Na Arena do Grêmio foram 55 gols entre 2020 e 2022, o que o colocou como o principal goleador do estádio. Além do vice-campeonato da Copa do Brasil, o artilheiro foi pentacampeão do Gauchão.

Durante a entrevista para o GE, Diego Souza destacou o clássico Grenal como a principal rivalidade do futebol brasileiro. Em duelos contra o Internacional, o ex-atleta participou de 16 partidas, com nove vitórias e quatro gols. "Sem dúvidas. O Gre-Nal para mim é o clássico que você pode classificar como número um, é a maior rivalidade do futebol brasileiro".

Lucas Uebel / Grêmio FBPA
Lucas Uebel / Grêmio FBPA

Indicado por Renato Portaluppi para retornar ao Tricolor, 'El Tanque' escolheu o ídolo gremista como o melhor treinador com quem trabalhou.

"Trabalhei com bastante, muitos, mas Papai Renato é fora (de série). Esse fica aqui e os outros disputam entre eles. Treinador igual ao Renato não tem. É difícil encontrar um cara que dá toda liberdade, tranquilidade e confiança para você só jogar futebol. É fora da curva. Sabe muito de bola, conhece, jogou muito, e sabe lidar no dia a dia. É uma coisa que alguns chegam próximo, mas não têm a personalidade que ele tem para lidar com tudo quanto é tipo de situação. De A a Z, ele sabe lidar com todo tipo de situação da mesma maneira sempre. Isso não tem preço. É um cara que todo jogador merecia ter uma oportunidade de trabalhar para saber o que eu estou dizendo. É um cara fantástico, virou meu amigo, e torço muito por ele".