Em 2016, o colombiano Miguel Borja foi escolhido o jogador mais importante da América, ao levar o Atlético Nacional, da Colômbia, ao título da Libertadores da América. Com o destaque, chamou a atenção do Palmeiras, que contratou o centroavante. Em 2021, Borja chegou ao Grêmio e não teve o mesmo sucesso. Desta forma, acabou rebaixado no Brasileirão.

Imagem: Lucas Uebel/Grêmio
Imagem: Lucas Uebel/Grêmio

Rebaixado com o Grêmio, Borja brilha na Argentina

Após a péssima passagem pelo Grêmio, Borja acertou com o River Plate no ano seguinte, em 2022. De lá para cá, o centroavante de 31 anos tem sido o grande destaque do clube argentino. O colombiano já soma 29 gols em 65 jogos disputados. Em 2023, Borja foi campeão argentino com o River, coroando a boa fase.

Em 2024, Miguel Borja balançou as redes em todas as partidas oficiais que disputou pelo clube argentino. Marcou tanto na Copa da liga Argentina, como também na Copa Argentina.

Na última partida disputada pelo jogador contra o Deportivo Riestra, o centrovante marcou 2 gols e garantiu a vitória do River Plate. Desta maneira, Borja assumiu a artilharia da Copa da Liga. Antes do Riestra, Borja já havia marcado 3 gols na goleada histórica sobre o Velez Sarsfield pelo placar de 5 a 0.

Borja foi muito mal no Grêmio?

Contratado por empréstimo em 2021, Borja era a grande esperança de gols do Grêmio para salvar a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari, do rebaixamento. Contudo, a expectativa não foi confirmada e Borja marcou apenas 5 gols em 20 partidas disputadas. Naquele ano, o Grêmio acabou sendo rebaixado para a Série B do Brasileirão.